sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Governo não é prisioneiro do ajuste, diz Dilma Rousseff

Em discurso lido pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu, no lançamento de um projeto para dobrar a capacidade de celulose da empresa Fibria em Três Lagoas (MS), nesta sexta-feira, 30, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o Brasil não está parado, nem é prisioneiro da agenda de ajustes da economia. 

"Não estamos prisioneiros da agenda de ajustes. Temos uma agenda consistente de estímulo ao desenvolvimento", afirmou.

O recado foi dado um dia depois que o PMDB divulgou documento apontando o "desequilíbrio fiscal" e de o vice-presidente Michel Temer ter afirmado que o governo se equivocou na política econômica. 

Segundo o discurso da presidente, um investimento como o da Fibria, de R$ 7,7 bilhões, não ocorre num país em que está sem perspectivas e no qual o empresariado não confia. 

"Nenhum empresário investe se não tiver confiança no retorno dos recursos aplicados. (O investimento) é expressão da confiança da Fibria no desenvolvimento sustentável do Brasil."

Lula diz ser 'vítima de pancadaria' e que 'vai sobreviver' a investigações

Alvo de investigações que envolvem inclusive seu filho caçula, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (29) que "vai sobreviver" ao que chamou de "três anos de muita pancadaria", em referência indireta a sua possível candidatura à Presidência da República em 2018.

"Ninguém precisa ficar com pena. Aprendi com a vida a enfrentar adversidade. Se o objetivo é truncar qualquer perspectiva de futuro, então vão ser três anos de muita pancadaria. E, podem ficar certos, eu vou sobreviver", disse Lula em discurso de mais de uma hora diante da cúpula do PT, em Brasília.

Nesta segunda-feira (26), a Polícia Federal realizou mandado de busca e apreensão nos escritórios que sediam a LFT Marketing Esportivo e Touchdown Promoção Eventos Esportivos, empresas de Luis Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente. A busca foi feita no âmbito da Operação Zelotes que investiga um esquema de pagamento de propina a integrantes do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), vinculado ao Ministério da Fazenda.

Frente às investigações, Lula ironizou as ações da PF, do Ministério Público Federal e a delação de Fernando Baiano, que afirmou que a nora do ex-presidente recebeu dinheiro de propina do esquema de corrupção na Petrobras.

"É tudo muito incerto. Denúncias contra o presidente da Câmara, denúncias contra o presidente do Senado, denúncia contra o filho do Lula, denúncia contra Lula. Eu tenho mais três filhos que não foram denunciados, sete netos e uma nora que está grávida. Porra, não vai terminar nunca isso? E me criaram um problema desgraçado. Disseram que uma nora recebeu R$ 2 milhões. Aí vão perguntar quem está rico na família. Daqui a pouco uma nora entra com um processo contra a outra", declarou sob risos da plateia formada por dirigentes do PT.

Em documento elaborado pela cúpula do partido, que pode sofrer alterações antes de ser divulgado nesta quinta, o PT pede que a militância petista saia em defesa de Lula e de seu "legado", afirmando que o ex-presidente se tornou "alvo prioritário de armações que se multiplicam em núcleos da Polícia Federal, do Ministério Público e do Poder Judiciário vinculados a operações supostamente anticorrupção".

"Vazamentos seletivos, prisões abusivas, investigações plenas de atropelo e denúncias baseadas em delações arrancadas a fórceps e sem provas comprobatórias, entre outros eventos, revelam a apropriação de destacamentos repressivos e judiciais por grupos subordinados ao antipetismo, que atuam com o intuito de difamar o principal partido da classe trabalhadora, seus dirigentes e o maior líder da história brasileira".

A empresa do filho de Lula é suspeita de ter recebido repasses da Marcondes & Mautoni, firma de lobistas que atuaram na aprovação de uma medida provisória que prorrogou a isenção de imposto para a indústria automobilística. A Marcondes pagou R$ 2,4 milhões à empresa de Luis Cláudio. Aliados do filho de Lula dizem que ele tem notas que comprovam o serviço prestado, mas os recibos ainda não vieram a público.

Youtube começa a transmitir jogos de futebol ao vivo

O You Tube começa a dar os primeiros sinais do que o Youtube Red poderá disponibilizar.

A plataforma de vídeos acaba de fechar parceria com a Liga Espanhola e passa a transmitir a Copa del Rey ao vivo em 17 países, incluindo o Brasil.

O acesso não será gratuito. Na Europa está sendo cobrado 5 euros por partida ou 20 euros por todo o torneio. As transmissões começaram na quarta-feira (28) com a partida entre Barcelona e Villanovense.

Caso tais transmissões sejam inclusas no serviço de streaming do YouTube e se tornem frequentes, as negociações de direitos de transmissões de esporte, inclusive no Brasil, onde a televisão domina o mercado, poderão ser afetadas.

Investimento estrangeiro direto cai 40% no Brasil no primeiro semestre

O volume de investimentos estrangeiros diretos caiu 40% no Brasil no primeiro semestre em comparação com o mesmo período do ano passado. De janeiro a junho, o fluxo de recursos para o país, que somou 51 bilhões de dólares em 2014, foi de 31 bilhões de dólares, segundo relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo formado por 35 países de renda elevada.

No mundo todo, o investimentos direto - aquele feito na chamada "economia real", como, por exemplo, aportes em uma indústria para compra de equipamentos e aumento de produção - cresceu 13% no primeiro semestre, para 883 bilhões de dólares. Os Estados Unidos foram o grande destaque do relatório: com 200 bilhões de dólares, o país atingiu volume recorde no levantamento.

O desempenho da economia americana na atração de investimentos estrangeiros diretos é uma evidência clara de que o país começou a atrair capitais antes mesmo de o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevar as taxas de juros. Para tentar estimular a economia, o Fed tem mantido os juros do país em uma faixa entre 0% e 0,25% desde 2006.

A possibilidade de o Fed elevar os juros em dezembro, em sua última reunião sobre política monetária de 2015, tem dado o tom do humor dos investidores de todo o mundo nas últimas semanas. Com juros mais altos nos EUA, recursos que hoje estão aplicados em economias emergentes, como a brasileira, tende a retornar aos Estados Unidos. Ainda que o retorno obtido com aplicações feitas nos emergentes seja maior - no Brasil, por exemplo, a taxa básica de juros, a Selic, é de 14,25% ao ano -, muitos investidores preferem a segurança dos títulos de dívida americanos, considerados mais seguros.

Com o volume recorde, os EUA foram o maior destino de investimentos estrangeiros diretos no primeiro semestre. Com isso, a economia americana superou a China, que foi a primeira colocada entre 2010 e 2014. O Reino Unido apareceu na terceira colocação e o Brasil, em quarto.


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Cunha revoga decisão sobre tramitação de pedido de impeachment

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, anunciou há pouco a revogação do rito definido por ele para ser adotado pela Casa na análise de pedidos de impeachment de presidente da República. O rito já havia sido suspenso por liminares dos ministros Teori Zavascki e Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), que acolheram os argumentos de mandados de segurança propostos por deputados da base aliada ao Executivo.

Cunha chegou a recorrer contra as liminares, mas preferiu revogar o rito do impeachment antes de o STF julgar os recursos apresentados por ele.

Decisão anterior 
Os procedimentos a serem adotados pela Câmara no julgamento de eventuais pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff haviam sido definidos por Cunha no dia 24 de setembro, quando ele leu, em Plenário, sua resposta à questão de ordem 105/15, apresentada pelo líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE).

Entre os questionamentos, estavam quais eram os requisitos para que a denúncia fosse aceita e se caberia recurso ao Plenário no caso de o presidente da Câmara rejeitar o pedido de abertura de processo contra a presidente.

Na ocasião, Cunha definiu que qualquer parlamentar poderia apresentar, no prazo de até cinco sessões, recurso ao Plenário contra decisões contrárias à abertura de processo contra a presidente.

Legislação 
Com a revogação do rito do impeachment definido por Cunha, o líder da Minoria, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), questionou em Plenário se serão aplicadas, então, a Lei do Impeachment (Lei 1.079/50) e o Regimento Interno da Câmara dos Deputados.

Em entrevista após deixar o Plenário, o presidente da Câmara disse que se balizará pela Constituição, pela Lei do Impeachment e pelo Regimento Interno, mas deverá julgar cada situação à medida que surja.

No entendimento do líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), como os ministros do STF se manifestaram pela suspensão apenas dos trechos que inovaram em relação à legislação atual, ficam mantidas as regras previstas na Lei do Impeachment e no Regimento.

“Com a revogação do rito do impeachment, reestabelece-se que ele [Cunha] tem o poder de deferir ou de indeferir e, como o regimento [da Câmara] prevê textualmente, está mantida a possiblidade de recursos ao Plenário”, disse Sampaio, cobrando de Cunha o quanto antes uma decisão sobre a abertura de processo contra Dilma Rousseff.

Já o deputado Miro Teixeira (REDE-RJ) ressaltou que o regimento da Câmara prevê a possiblidade de recurso apenas em caso de indeferimento, mas ele defende que o recurso valha para os dois casos. “É curioso que o regimento só preveja recurso em caso de indeferimento. Penso que se deve aplicar também o recurso no caso de deferimento”, disse.

Ex-deputado Pedro Corrêa é condenado a 20 anos de prisão

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, condenou hoje (29) o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP - PE) a 20 anos e sete meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. 

Corrêa foi acusado de receber R$ 11,7 milhões em propina oriunda do esquema de corrupção investigado na Operação Lava Jato.

Na decisão, Moro também decidiu manter a prisão cautelar de Pedro Corrêa, por entender que o ex-parlamentar continuou recebendo propina mesmo durante o julgamento da Ação Penal 470, o  processo do mensalão. 

Antes de ser preso em abril, na 21ª fase da Lava Jato, Corrêa cumpria prisão em regime aberto pela condenação no processo do mensalão.

"A necessidade da prisão cautelar decorre ainda do fato de Pedro Corrêa ser recorrente em escândalos criminais, já tendo sido condenado na Ação Penal 470 por corrupção e lavagem no escândalo criminal denominado de mensalão e agora no presente caso. Aliás, como apontado, persistiu recebendo propina do esquema criminoso da Petrobras mesmo durante o julgamento, o que revela que a prisão cautelar é meio necessário para interromper seu estilo de vida criminoso", afirmou Moro. 

Bradesco tem lucro líquido de R$4,12 bi no 3º tri

O Banco Bradesco, segundo maior banco privado do país em ativos, informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de 4,12 bilhões de reais no terceiro trimestre, alta de 6,3% ante igual etapa de 2014.

Excluindo efeitos extraordinários, o lucro ajustado do Bradesco foi de 4,533 bilhões de reais no período, alta de 14,8 por cento sobre um ano antes. A previsão média de analistas ouvidos pela Reuters era de lucro recorrente de 4,437 bilhões de reais.


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Movimentos pró-impeachment cobram apoio do PMDB

A presidente Dilma Rousseff em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, em Brasília

Integrantes da Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos cobram, em carta aberta à liderança do PMDB, apoio do partido aos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O documento está assinado por 43 movimentos que integram a aliança e será entregue durante ato, nesta quarta-feira, no Salão Verde da Câmara dos Deputados.

Na carta, os movimentos afirmam que o Brasil está "à deriva, com poucas chances de recuperar a governança, a credibilidade e o equilíbrio econômico enquanto o PT não for apeado do poder". "Não obstante, o PMDB ainda não se alinhou ao desejo da população, que não aceita ser comandada por uma presidente que se mostra omissa, protetora de corruptos e inepta para conferir credibilidade ao nosso país", dizem.

Os movimentos pedem que parlamentares do PMDB não sejam "omissos". "Honrem os seus mandatos e o passado do PMDB, sob pena de serem punidos com a execração pública: posicionem-se e apoiem o processo de impeachment já", cobram na carta, que deve ser lida nesta quarta. Alguns deputados do PMDB aguardavam no local para participar da manifestação.

O PMDB na Câmara está dividido em relação ao afastamento de Dilma. Enquanto o líder do partido na Casa, Leonardo Picciani (RJ), que indicou ministros na última reforma ministerial, critica as iniciativas pró-impeachment, alguns deputados, como Darcício Perondi (RS), apoiam os pedidos de saída da presidente.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por sua vez, tem utilizado os processos de impeachment para negociar, tanto com oposição quanto com governo, apoio contra sua cassação por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Casa. O peemedebista é investigado por ter contas secretas na Suíça, por meio das quais teria recebido dinheiro oriundo de propina do esquema do petrolão.

Receita recomenda quebra de sigilo de firma do filho de Lula

Luís Cláudio Lula da Silva
A Receita Federal recomendou ao Ministério Público Federal que peça a quebra dos sigilos bancário e fiscal da LFT Marketing Esportivo, que tem como sócio Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os auditores que trabalham nas investigações da Operação Zelotes também sugerem que as mesmas medidas sejam adotadas em relação ao restaurante Sanfelice Comércio de Massa Artesanal, que está em nome de Myriam Carvalho, filha de Gilberto Carvalho, ex-ministro e ex-chefe de gabinete de Lula.

Nos dois casos, a recomendação é que as quebras sejam feitas entre 2008 e 2015, abarcando todo o período de funcionamento das empresas. Ambas foram abertas em 2011.

As solicitações, da área de Inteligência da Receita, foram encaminhadas aos procuradores da República que atuam na força-tarefa da Zelotes. Cabe a eles enviar os pedidos à Justiça Federal.

A empresa do filho de Lula entrou no foco das investigações após a descoberta de que recebeu repasses da Marcondes & Mautoni Empreendimentos, empresa de lobby contratada por montadoras de veículos para supostamente "comprar" medidas provisórias nos governos de Lula e da presidente Dilma Rousseff. A quebra de sigilo da Marcondes revelou a transferência de ao menos 1,5 milhão de reais para a LFT em 2014.

Os investigadores querem levantar outras eventuais fontes de receita da empresa de Luís Claudio, além do destino do dinheiro recebido da Marcondes & Mautoni. A suspeita é de que os repasses para a LFT tenham relação com a MP 627/2013, uma das três normas que teriam sido encomendadas pelo setor automotivo. Por causa dos indícios de irregularidade, a Justiça autorizou busca e apreensão na sede da empresa, em São Paulo. No escritório, também funcionam outras duas firmas de Luís Cláudio - a Touchdown e a Cassaro.

A defesa de Luís Cláudio nega irregularidades nos contratos.

Questionado no início do mês, o filho de Lula confirmou ter recebido 2,4 milhões de reais da Mautoni por serviços prestados em sua área de atuação. Os recursos seriam referentes ao período de 2014 e 2015.

Em 2014, 97% do que a Mautoni faturou veio de contratos com montadoras. O dinheiro que saiu da empresa em 2014, segundo relatórios da Receita, foi para os sócios e o filho de Lula. Os advogados da LFT informaram que, "infelizmente", não poderiam comentar a recomendação de quebra de sigilos, pois se trata de algo que desconhecem.

Os pedidos sobre o restaurante Sanfelice, em nome da filha do ex-ministro Gilberto Carvalho, seguem a mesma lógica. Os investigadores querem saber se o petista usou a empresa em nome da filha para receber dinheiro da Marcondes & Mautoni.

Documentos apreendidos em fases anteriores da Zelotes mostram o nome do ex-chefe de gabinete de Lula associado a inscrições sobre a MP 471, de 2009, editada pelo então presidente. Para os investigadores, havia um "conluio" entre ele e a consultoria na defesa de "interesses do setor automobilístico".

Segundo dados públicos da Receita, o restaurante foi aberto em 25 de maio de 2011, em Brasília, com capital de 20.000 reais, e tem como sócios Myriam e Gabriel de Albuquerque Carvalho. A cantina vende massas congeladas para preparo em casa e chegou a ter uma filial, funcionando como restaurante, fechada recentemente.

A reportagem não conseguiu contato ontem com Carvalho ou com os sócios do restaurante. O ex-ministro nega conluio com os investigados e sustenta nunca ter feito gestões a respeito no governo ou recebido valores do grupo.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Oito perguntas sobre os riscos de se comer carne processada

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse em um novo relatório que o consumo de carne processada - como bacon, salsichas e presunto - causa câncer e que a carne vermelha é "provavelmente cancerígena".

Segundo o documento, 50 gramas de carne processada por dia, o equivalente a duas fatias de bacon, aumentam a chance de desenvolver câncer colorretal em 18%.

De forma mais branda, pela falta de provas mais contundentes, a organização também reforçou o alerta em relação à carne vermelha.

Entenda a seguir o que significa a avaliação da OMS, os riscos associados ao consumo desses tipos de alimentos e como cultivar hábitos mais saudáveis.

Leia também: Com versão em português, ‘Instagram para médicos’ aposta no Brasil para crescer 

O que é carne processada?

A carne processada foi modificada para estender o tempo em que ela pode ficar na prateleira ou para alterar seu sabor.

Os principais métodos para isso são a defumação, o processo de cura ou a adição de conservantes.

Simplesmente passar a carne por um moedor não significa que o resultado disso seja uma carne processada, a não ser que ela seja modificada de outras formas.

Carnes processadas incluem bacon, salsichas, linguiças, salame, carnes curadas ou salgadas e presunto, além de carnes enlatadas e molhos à base de carne.

A carne vermelha, colocada sob alerta pela OMS, tem uma cor mais escura que a carne branca, como é o caso de carnes de vaca, carneiro e porco, por causa dos altos níveis de proteína, que se unem ao oxigênio, à hemoglobina e à mioglobina presentes no sangue e nos músculos.

Por que essas carnes causam câncer?

Químicos cancerígenos podem se formar no processamento da carne, como compostos N-nitrosos e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos.

Cozinhar a carne a altas temperaturas, especialmente no churrasco, também pode produzir químicos perigosos.

No entanto, especialistas da OMS admitem que o risco de câncer "ainda não é compreendido totalmente".

Leia também: Como é o asteroide que vai se aproximar da Terra nos próximos dias 

Consumi-las é muito arriscado?

A cada 50g de carne processada por dia - menos do que duas fatias de bacon -, o risco de desenvolver câncer aumenta 18%.

Para cada 100g de carne vermelha, o risco é elevado em 17%, apesar de a OMS apontar que as evidências disso ainda são limitadas.

O que significa a classificação da OMS?

A OMS classifica agentes cancerígenos em cinco grupos:

  • Grupo 1 - cancerígeno para humanos;
  • Grupo 2A - provavelmente cancerígenos para humanos;
  • Grupo 2B - possivelmente cancerígenos para humanos;
  • Grupo 3 - não classificável;
  • Grupo 4 - provavelmente não cancerígeno.

As carnes processadas foram incluídas no primeiro grupo, já que evidências científicas mostram que elas definitivamente causam câncer.

Isso não significa, no entanto, que todos os agentes do grupo 1, no qual estão também o tabaco, o plutônio e o álcool, são igualmente perigosos.

Carnes vermelhas estão no grupo 2A, porque a OMS diz que as evidências ainda são insuficientes para classificá-las de outra forma.

Leia também: O novo aplicativo preferido do 'Estado Islâmico' 

Comer carne processada é tão ruim quanto fumar ou beber?

Não. Estimativas apontam que 34 mil mortes anuais por câncer se devem a dietas com alto consumo de carne processada.

Em comparação, 1 milhão de mortes por ano são causadas pelo hábito de fumar e 600 mil, pelo consumo de álcool.

Sem CBF, Zico tem só duas indicações e está fora da eleição da Fifa

Não deu para o Galinho. Interessado em concorrer à presidência da Fifa, Zico tinha até as 21 horas (de Brasília) desta segunda-feira para apresentar os apoios de cinco federações de futebol. Apenas duas foram reunidas pelo brasileiro, que não contou com o suporte da própria CBF - a gestão de Marco Polo Del Nero havia condicionado o apoio a Zico ao aval de ao menos outras quatro federações.

As duas indicações conquistadas pelo ex-jogador foram dadas pelas federações de Angola e de São Tomé e Príncipe. Curiosamente, sua carreira nunca esteve ligada aos países apoiadores. Segundo o Galinho, a reviravolta no cenário europeu derrubou seus planos para a eleição, agendada para 26 de fevereiro de 2016. Aos 62 anos, o ídolo do Flamengo segue no comando técnico do Goa, da Índia.

"Não foi possível reunir as cinco cartas para oficializar a candidatura. Vinha conversando com várias pessoas e cerca de seis [federações] tinham me garantido apoio. Mas houve uma reviravolta na UEFA que não possibilita mudanças", lamentou Zico, em referência às suspensões do atual presidente Joseph Blatter e do ex-favorito à sucessão, Michel Platini.

O brasileiro vinha trabalhando com Ricardo Setyon, consultor sênior de relações internacionais e comunicação em sua campanha. O jornalista aproveitou para questionar o destino do apoio da CBF, que não assinou a carta de indicação ao único candidato do Brasil.

"No começo da campanha, o Zico fez questão de fazer a primeira visita à CBF", lembrou Ricardo ao canal pago ESPN Brasil, citando também a desistência da Inglaterra em apoiar Platini. "A gente não esperava que ela revisse seus conceitos e apoiasse o Zico. Mas a pergunta que faço é: já que eles não podem votar no candidato que gostariam, para quem irão esses votos, inclusive o da CBF?", questionou o assessor.

Enquanto Platini tenta se livrar dos recentes escândalos, a Uefa anunciou o nome do secretário-geral Gianni Infantino como postulante à presidência da Fifa. Deste modo, a federação internacional deve contar com outros seis candidatos para o pleito em fevereiro: o príncipe jordaniano Ali Bin Al Hussein; o ex-jogador David Nakhid, de Trinidad e Tobago; o francês Jerome Champagne; o sul-africano Tokyo Sexwade; o liberiano Musa Bility; e o presidente da AFC, Confederação Asiática de Futebol, Salman Bin Ebrahim Al Khalifa.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Lula diz estar 'irritado' com acusações sobre a família na Lava Jato

São Paulo, SP, BRASIL- 24-10-2015: Cercado por seguranças e integrantes do MST, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva, visitou a Feira Nacional da Reforma Agrária. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress) *** PODER *** EXCLUSIVO FOLHA***

Em reunião com a direção nacional do MST (Movimento dos Sem Terra) neste sábado (24), Lula disse que está muito "irritado" com a citação de seus familiares na Operação Lava Jato.

"Ele falou que está muito irritado porque são inverdades. Citam nomes de familiares dele sem provas. Além de defender o PT, tem que defender a família", disse João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST.

O ex-presidente Lula chegou direto de uma viagem à Bahia para a 1° Feira Nacional da Reforma Agrária no Parque da Água Branca, na capital paulista.

Questionado sobre as denúncias feitas no âmbito da Operação Lava Jato envolvendo o empresário e seu amigo pessoal José Carlos Bumlai, Lula desconversou.

"Hoje é sábado, eu sou muçulmano e sábado eu não falo de política", disse o ex-presidente, confundindo-se com os judeus, que não trabalham no shabat, que vai do pôr do sol de sexta ao anoitecer de sábado.

Fernando Soares, o Baiano, disse em seu acordo de delação premiada homologado há três semanas que Lula se reuniu com Bumlai e o presidente da Sete Brasil por contratos de navios-sonda.

Ele também afirmou que, após as reuniões, pagou R$ 2 milhões a Bumlai. Segundo Baiano, o empresário disse, na época, que o dinheiro seria para quitar a dívida de um apartamento de uma nora do ex-presidente.

Tanto o petista quanto o pecuarista negam peremptoriamente as acusações.

Como o Jornal a Folha de São Paulo publicou nesta sexta passada, Bumlai afirma que os recursos que recebeu do lobista foram um empréstimo para pagar empregados de suas fazendas.

REUNIÃO COM MST

A direção do MST aproveitou a conversa com Lula para mandar recados para a presidente Dilma Rousseff.

Eles pediram mais incentivo para a área de agroecologia, mais atenção ao programa Terra Forte e também para os programas que obrigam as prefeituras a comprar alimentos da agricultura familiar.

O grupo entregará a Lula uma pauta que será apresentada à Dilma na próxima semana.

Policiais de Nova York organizam boicote a filmes de Tarantino


O sindicato de policiais de Nova York pediu um boicote aos filmes de Quentin Tarantino em resposta ao protesto do premiado diretor contra as mortes de suspeitos desarmados. "Não é surpresa que alguém que faz filmes glorificando a violência odeie policiais também. É hora de um boicote aos filmes de Quentin Tarantino", afirmou Patrick Lynch, presidente da Patrolmen's Benevolent Association.

O último filme de Tarantino, "Os 8 Odiados" - sobre caçadores de recompensas em Wyoming após a Guerra Civil americana - vai estrear nos Estados Unidos no Natal. A obra segue uma série de sucessos de bilheteria e crítica, incluindo "Pulp Fiction" e "Django Livre", que renderam ao diretor dois Oscars e outros prêmios ao redor do mundo.

"Os policiais que Quentin Tarantino chama de 'assassinos' não fazem parte de nenhuma de suas fantasias depravadas - eles estão arriscando e muitas vezes sacrificando as próprias vidas para proteger comunidades de crimes e desordens reais", disse Lynch.

O diretor de 52 anos esteve em uma marcha que uniu centenas de pessoas em Nova York no sábado para protestar contra brutalidade policial. As mortes de homens negros no correr do ano geraram protestos contra a polícia. "Nada tem sido feito sobre isso. É esse o motivo de estarmos aqui", afirmou Tarantino. "Se esses problemas estivessem sendo resolvidos, então os policiais envolvidos já estariam na prisão ou enfrentando processos".

Um balanço de dados do jornal The Guardian afirma que mais de 930 pessoas foram mortas por policiais nos Estados Unidos neste ano até o momento, entre elas 436 brancas, 226 negras e 143 latinas. As autoridades policiais afirmam que um agente é morto em atividade no país a cada 60 horas.

PF fez busca na casa de ex-porta-voz de Sarney

A Polícia Federal fez busca e apreensão na casa do porta-voz da Presidência da República no Governo José Sarney (1985/1989), jornalista Fernando César Mesquita, nesta segunda-feira, 26, na nova fase da Operação Zelotes. 

Fernando Mesquita, além de eminência do governo Sarney, já ocupou também o cargo de secretário de Comunicação do Senado. 

Nesta etapa da Zelotes, os agentes apuram esquema de lobby e corrupção para 'comprar' medidas provisórias que favorecem empresas do setor automobilístico, revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo no início do mês.

Segundo as investigações, Fernando Mesquita trabalharia com o lobista Alexandre Paes dos Santos. Conhecido como 'APS', Alexandre Paes dos Santos é um dos envolvidos na negociação das MPs e foi preso preventivamente pela Zelotes, hoje.

Fernando Mesquita ocupa uma cadeira no Conselho de Comunicação Social do Congresso como titular do setor de representação da sociedade civil.


'Tiririca da Guatemala' é eleito presidente do país

O comediante evangélico Jimmy Morales ganhou as eleições para a Presidência da Guatemala com um resultado histórico: ele conquistou o dobro de votos de sua rival, Sandra Torres. Com 100% das urnas contabilizadas, Morales, de 46 anos, somou um número inédito de votos na nação centro-americana, 2.749.634, totalizando 67,43% dos eleitores.

Sua rival, a ex-primeira-dama Sandra Torres, da União Nacional da Esperança (UNE), conseguiu 1.327.976 votos, totalizando 32,57%. Morales, um novato no mundo da política, surgiu após as manifestações contra a corrupção dos últimos meses. "Não fui eu que me declarei vencedor, mas o povo que o fez", disse Morales, acrescentando que irá trabalhar com uma equipe de transição para estudar os problemas econômicos do país.

Segundo os dados atualizados do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) em seu site, dos mais de 7,5 milhões de guatemaltecos convocados às urnas no domingo, um total de 4.253.417 eleitores votaram, o que representa uma participação do 56,29%, com abstenção de 43,71%. Morales, que se tornou o décimo presidente da era democrática da Guatemala, tomará posse do cargo no próximo dia 14 de janeiro para um mandato de quatro anos.

Como o Brasil mudou um ano após a vitória de Dilma nas urnas


Um ano após as eleições presidenciais, os indicadores do Governo estão em um cenário bastante diferente ao da época do pleito. Afundado em uma crise econômica, que desencadeou uma crise política, os números do Governo Dilma 2 vão além das expectativas de analistas em termos de recessão.

Depois de reajustes, espera-se um recuo de 3% no PIB do país e déficit de até 50 bilhões de reais nas contas públicas. O ajuste fiscal proposto pelo governo para frear a recessão se vê paulatinamente adiado, devido ao paredão de impedimentos que encontra no Congresso.

O resultado para o brasileiro foi uma piora significativa de todos os indicadores governamentais. Aprovação do governo caiu vertiginosamente enquanto dólar, índices de inflação, taxa de juros e desemprego subiram.

Veja nos gráficos abaixo a evolução dos números desde o dia em que Dilma Rousseff foi reeleita presidente do Brasil.

Argentina definirá presidente no 2° turno pela primeira vez

Buenos Aires - A Argentina definirá no dia 22 de novembro em um inédito segundo turno se quem governará durante os próximos quatro anos será o governista Daniel Scioli ou o conservador Mauricio Macri, depois que nenhum candidato obteve os votos suficientes para vencer no primeiro turno das eleições deste domingo no país.

O dado extraordinário destas eleições não foram as suspeitas de fraude, como alguns esperavam, mas a decisão do governo, a cargo da apuração provisória, de divulgar os primeiros resultados seis horas após fechados os colégios eleitorais e quando já tinha sido contado 67% das mesas de votação.

De madrugada, com 93,1% das mesas apuradas, Scioli, do governante Frente para a Vitória (FpV), somava 36,39% de votos, abaixo do resultado das primárias de agosto. Em seus calcanhares, Macri, postulante da frente conservador Mudemos, tinha 34.75%.

Com estes números, nenhum ia obter 45% dos votos ou pelo menos o 40% mais uma diferença de dez pontos sobre o segundo mais votado necessários para consagrar presidente na primeira votação, pelo que a Argentina realizará pela primeira vez em sua história uma segunda rodada eleitoral.

Enquanto os 32 milhões de argentinos que neste domingo foram às urnas ignoraram durante seis horas o resultado da votação, todos os candidatos se anteciparam a fazer seus discursos, dando por certo um segundo turno.

domingo, 25 de outubro de 2015

Termina dinastia Kirchner, Argentina elege novo presidente

Os argentinos votam neste domingo por uma nova era política, sem um Kirchner no poder. Os três principais candidatos à presidência da Argentina, o governista Daniel Scioli e os opositores Mauricio Macri e Sergio Massa, votaram logo cedo para não perder a semifinal do Mundial de rúgbi - quando Argentina enfrenta Austrália.

Scioli, apoiado pela presidente Cristina Kirchner e sua coalizão de esquerda Frente para a Vitória (FPV), é o grande favorito. Este ex-campeão mundial de motonáutica, que teve o braço direito amputado apos uma competição, tem uma vantagem de cerca de 10 pontos à frente de Mauricio Macri, o prefeito conservador de Buenos Aires.

A incógnita das eleições, das quais participarão cerca de 32 milhões de eleitores, é se Scioli conseguirá somar os 45% de votos ou os 40% e uma diferença de dez pontos sobre o segundo para evitar o segundo turno. Caso não consiga, uma nova votação será realizada em 22 de novembro.

"Vamos nos contagiar com o espírito dos Pumas, para mim, eles são o que a Argentina deve ser, com essa garra, esse orgulho, essa força para levar a camisa argentina", disse Scioli ao votar Villa La Ñata, seu domicílio eleitoral na província de Buenos Aires - que governa desde 2007.

Seu principal adversário, o prefeito de direita de Buenos Aires, Mauricio Macri, de 56 anos, também se referiu ao mundial de rúgbi na Inglaterra, no qual "Los Pumas" (argentinos, ndlr) enfrentarão os "Wallabies" (australianos).

Chuvas pós-furacão Patricia causam inundações no Texas

O encontro de dois sistemas de tempestades, um com resquícios do furacão Patricia, castigou o sudeste do Texas, nos Estados Unidos, que sofreu fortes chuvas e inundações. O Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos previu de 15 a 20 centímetros de chuva nas áreas litorâneas, incluindo o sudoeste de Louisiana, até segunda-feira de manhã.

A prefeita de Houston, Annise Parker, alertou os residentes para evitar as estradas depois que escurecesse e para ficar alertas com as inundações. Não foi registrado nenhum ferido, mas diversos motoristas ficaram ilhados.

As chuvas deste final de semana levaram ao cancelamento de cerca de cem vôos no Aeroporto Internacional de Dallas/Fort Worth, um dos mais movimentados do país, de acordo com o serviço de rastreamento FlightAware.

Fernando Haddad nega saída e diz que fica no PT 'com orgulho'

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad negou os rumores de que pode deixar o PT devido ao prejuízo que os escândalos de corrupção têm imposto à imagem do partido. Haddad afirmou neste sábado que vai permanecer no PT e que "tem orgulho da história do partido", por ser a única legenda "que teve origem no movimento social". Haddad deu as declarações em um programa transmitido ao vivo pela rádio CBN a partir da Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. "Não vou deixar o PT. Quem tem que falar isso sou eu", disse Haddad, em resposta a um ouvinte da rádio que estava na plateia da sabatina.

Rumores davam conta, na sexta-feira, de que aliados do prefeito o pressionavam a sair do PT e que ele havia iniciado análises. Uma das possibilidades seria a de migrar para a Rede Sustentabilidade, o partido político da ex-ministra e ex-senadora Marina Silva. Depois da divulgação da notícia, Haddad usou o Twitter para negar a hipótese de deixar a sigla, e neste sábado repetiu essa posição de própria voz.

Ainda na resposta ao ouvinte, Haddad disse que considerava mais importante do que negar a saída explicar o porquê de permanecer na sigla. "Quando você vê o movimento social da cidade, de moradia, saúde, educação, em Parelheiros, Guaianases, Brasilândia, o PT surgiu desse resultado", afirmou. "Eu acho que será ruim para o país se o Brasil não tiver um partido com as características sociais do PT."

O prefeito também se esquivou das críticas de corrupção no partido, que teve dois tesoureiros presos e condenados pela Justiça nos últimos dez anos. "Eu respeito a trajetória das milhões de pessoas que ajudaram a construir este projeto. O que eu acho é o seguinte: de 1,5 milhão de filiados, eu diria com certeza que 99,9% das pessoas lutam por um país melhor. E é para essas pessoas que eu estou olhando", disse.

Para Haddad, os escândalos que têm surgido são fruto de uma melhora nas instituições de fiscalização e controle, um discurso semelhante ao adotado pela presidente Dilma Rousseff ao se referir às investigações de corrupção na Petrobras. "O Ministério Público nunca teve a autonomia que tem hoje. A Polícia Federal não tinha a autonomia que tem hoje. O próprio Judiciário não tinha a autonomia que tem hoje. Acho que todo mundo que errou tem de ser punido, não só de um lado", comparou.

Após as negativas públicas de que deixaria o PT, Haddad manteve a posição de admiração pela mobilização de Marina com a Rede. Em conversa com um integrante do novo partido no fim da tarde de sexta-feira, o prefeito disse estar aberto a diálogos com quem está no "campo progressista".

A gestão de Haddad ainda enfrenta problemas de baixa avaliação entre o eleitorado. Além disso, o prefeito contava com uma aliança com o PMDB, mas está ciente de que o partido vai lançar Marta Suplicy como candidata. Com isso, seu secretário de Educação, Gabriel Chalita, cogita deixar o partido e avalia qual a melhor sigla para atrair uma legenda para a chapa à reeleição do prefeito petista.

Silvio Santos diz que Xuxa "não é mais a Xuxa": "Virou um rapaz americano"

Silvio Santos disse, já na madrugada deste domingo (25), que "Xuxa não é mais a Xuxa" e que agora "virou um rapaz americano". O comentário do apresentador e dono do SBT surgiu, depois de um elogio da filha Patrícia Abravanel durante a edição do Teleton.

"Eu amei a Xuxa, aqui [no Teleton], ontem. Fiquei muito feliz por ela ter vindo. A gente briga por uns pontos na audiência, mas, sem ser naquele horário, a gente gosta de todo o mundo. Eu amei a participação da Xuxa e foi muito especial tê-la no Teleton", se derreteu Patrícia, apresentadora do "Máquina da Fama", no SBT, e concorrente direta de Xuxa, na Record.

"É, mas acontece que a Xuxa não é mais a Xuxa. Virou um rapaz americano", disparou Silvio. "A gente quer ver a Xuxa, de vestido, de cabelo (sic). Agora ela só faz o rapaz americano. O que gente vê é o rapaz americano. Quem gosta de ver o rapaz americano, então, acompanha a Xuxa toda a segunda-feira na Record", provocou.

O dono do SBT não explicou o sentido da frase, mas muitos internautas interpretaram que ele quis dizer que "Xuxa estaria copiando o figurino da apresentadora norte-americana Ellen Degeneres", com ternos, gravatas e sapatos baixos.

sábado, 24 de outubro de 2015

Governo culpa Toffoli por mal-estar com Venezuela

O Palácio do Planalto atribuiu na quinta-feira ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Dias Toffoli, o imbróglio diplomático com a Venezuela, que fez com que o tribunal suspendesse, apressadamente, a participação do Brasil em missão da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) para acompanhar como observador as eleições parlamentares do país, em dezembro. 

Segundo o TSE, o presidente Nicolás Maduro teria rejeitado o nome de Nelson Jobim como chefe da missão. No entanto, de acordo com auxiliares presidenciais, não houve veto algum ao ex-presidente do TSE. Uma fonte do Planalto disse ao Jornal O GLOBO que integrantes do governo venezuelano conversaram ontem com auxiliares da presidente Dilma Rousseff para garantir que não há impedimento a Jobim.

Agora, o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, e o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, estão incumbidos de conversar com Jobim e com o governo venezuelano para resolver a questão da melhor maneira possível. Na avaliação do governo, Toffoli se antecipou a uma situação que ainda não existia formalmente, gerando uma “nota especulativa”, nas palavras de uma fonte do governo.

— O problema agora é como resolver essa questão — afirmou ontem um interlocutor presidencial.

Na quarta-feira, um dia após o suposto veto, o Senado aprovou uma moção de repúdio ao governo da Venezuela e de solidariedade ao ex-presidente do Supremo Tribunal Federal. O governo brasileiro, por sua vez, teria passado todo o dia em contato com países da Unasul, em busca de uma solução.

Jobim foi escolhido pelo presidente do TSE para comandar a missão, e seu nome foi encaminhado à Dilma Rousseff por intermédio do ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. O Palácio do Planalto, por sua vez, indicou Jobim perante a Unasul.

Outros fatores

Mas, segundo fontes da diplomacia brasileira, o veto ao ex-presidente do tribunal não teria sido o único fator que motivou a desistência. O TSE queria escolher livremente as seções eleitorais onde observaria a votação, mas o governo de Maduro discordou da proposta: queria limitar a presença dos brasileiros a zonas eleitorais específicas.

A Venezuela também teria discordado da condição imposta pelo TSE de emitir um parecer sobre as eleições depois que o processo fosse encerrado. O governo se recusou, inclusive, a chamar os observadores com esse nome: queria que fossem “acompanhantes”.

Reconhecido mundialmente pela eficiência na logística de votações, especialmente pela urna eletrônica, o Brasil costuma ser convidado para participar como observador de eleições em vários países, inclusive prestando consultoria no setor. Na terça-feira, em nota, o TSE informou que buscava contribuir para que a missão realizasse “um trabalho de observação objetivo, imparcial e abrangente”: “Embora o candidato tenha angariado amplo apoio entre os Estados-membros, foi preterido na escolha final para a chefia da missão por suposto veto das autoridades venezuelanas”.

Ainda segundo o comunicado, o tribunal tentou contribuir para que a missão fosse regida por um acordo entre a Unasul e o Conselho Nacional Eleitoral do país, mas não obteve resposta:

“A demora do órgão eleitoral venezuelano em se pronunciar sobre a versão revista do acordo fez com que a missão não pudesse acompanhar a auditoria do sistema eletrônico de votação (...) o que, a menos de dois meses das eleições, inviabiliza uma observação adequada”.

CAE apura ação de cartel de bancos nas operações do câmbio

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) vai discutir em audiência pública, na próxima quarta-feira (28), às 14h, as denúncias de formação de cartel para manipulação das taxas de câmbio envolvendo o real e moedas estrangeiras. As práticas anticompetitivas teriam sido realizadas por 14 bancos e financeiras e 30 pessoas por meio de chats da plataforma Bloomberg — por vezes autodenominados pelos representados como “o cartel” ou “a máfia” — entre os anos de 2007 e 2013.

As condutas teriam comprometido a concorrência nesse mercado, prejudicando as condições e os preços pagos pelos clientes em suas operações de câmbio, de forma a aumentar os lucros das empresas representadas, além de distorcer os índices de referência do mercado de câmbio.

O superintendente-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Eduardo Frade, foi convidado para explicar o processo administrativo aberto em 2 de julho para investigar a denúncia. O processo apura também a manipulação de índices de referência do mercado de câmbio, tais como o do Banco Central do Brasil (PTAX), do WM/Reuters e do Banco Central Europeu. Esses índices de referência são usados como parâmetro por empresas multinacionais, instituições financeiras e investidores que avaliam contratos e ativos mundialmente, entre outros.

São investigadas no processo 14 empresas — Banco Standard de Investimentos, Banco Tokyo-Mitsubishi UFJ, Barclays, Citigroup, Credit Suisse, Deutsche Bank, HSBC, JP Morgan Chase, Merril Lynch, Morgan Stanley, Nomura, Royal Bank of Canada, Royal Bank of Scotland, Standard Chartered e UBS — e 30 pessoas físicas.

Fortes indícios

O parecer da superintendência do Cade aponta fortes indícios de práticas anticompetitivas de fixação de preços e condições comerciais entre as instituições financeiras concorrentes. Segundo as evidências, os investigados teriam feito um cartel para fixar níveis de preços (spreadcambial), coordenar compra e venda de moedas e propostas de preços para clientes, além de dificultar a atuação de outros operadores no mercado de câmbio envolvendo a moeda brasileira.

“As instituições financeiras acusadas também teriam se coordenado para influenciar índices de referência dos mercados cambiais, por meio do alinhamento de suas compras e vendas de moeda.  Todas as supostas condutas teriam comprometido a concorrência nesse mercado, prejudicando as condições e os preços pagos pelos clientes em operações de câmbio”, explica o autor do requerimento para realização do debate, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

Como funciona

No mercado de câmbio, são realizadas as operações que se referem à compra de uma moeda em troca de outra. Essas operações têm como base a taxa de câmbio, considerada um preço chave da economia, que influencia desde os níveis de consumo interno de um país, como os níveis de investimento, importação e exportação, além de todas as transações financeiras que a tomem por base.

Ainda que o real seja a moeda oficial do país, um número considerável de operações cambiais realizadas por entidades brasileiras também são feitas por meio de moedas estrangeiras, como euro, dólar, libra esterlina, franco suíço, dentre outras.

Os clientes de instituições financeiras que executam operações de câmbio são aqueles que necessitam realizar periodicamente compra e venda de moeda estrangeira — bancos, fundos de investimentos, pessoas físicas (investidores, turistas), empresas privadas e entidades governamentais, por exemplo.

Essas instituições financeiras concorrem entre si para executar a operação, oferecendo um preço competitivo (taxa de câmbio para compra ou para venda de determinada moeda). As operações de câmbio também podem ser feitas com base nos índices de referência.

Participantes

Além do superintendente-geral do Cade, foram convidados para a audiência pública, marcada para o Plenário 19 da Ala Alexandre Costa, Aldo Luiz Mendes, diretor de Política Monetária do Banco Central; Leonardo Gomes Pereira, presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Murilo Portugal Filho, presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban); e José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). A reunião deverá debater também a regulação do mercado de câmbio.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

CUNHA TENTOU IMPEDIR ENVIO DE PROVAS DA SUÍÇA


:
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pode ter tentado atrapalhar o andamento das investigações contra ele na Suíça e no Brasil. Cunha é acusado de manter contas secretas no país europeu, por onde passaram dezenas de milhões de dólares em pagamento de propina, e alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal.
Segundo informações de uma fonte ao jornal O Globo, Cunha e sua mulher, a jornalista Cláudia Cruz, entraram com recurso na Câmara de Apelação Criminal do Tribunal Federal da Suíça para que o dinheiro depositado no exterior e documentos sobre as contas secretas não fossem repassados pelo Ministério Público suíço à Procuradoria-Geral da República no Brasil, comandada por Rodrigo Janot.
Segundo a reportagem, até o momento o pedido de Cunha e da mulher não foi julgado e há poucas chances de o deputado ter sucesso. Autoridades suíças já enviaram documentos à Procuradoria no Brasil e é provável que envie também o dinheiro bloqueado no país – quase R$ 10 milhões, em duas de quatro contas que têm o casal como beneficiário. Por conta das provas, há um segundo inquérito contra Cunha no STF.

Haddad cogita deixar o PT e flerta com partido de Marina

Em busca da reeleição, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, pode deixar o PT, legenda que enfrenta desgaste por causa de envolvimentos em escândalos de corrupção como o mensalão e o petrolão. Haddad iniciou uma série de consultas a conselheiros da política e do mundo acadêmico sobre a possibilidade de abandonar o partido pelo qual foi eleito pela primeira vez, em 2012. Ele nega: "Desminto todas as informações", disse em seu perfil no Twitter.

Aliados de Haddad acham que, pelo PT, ele não tem chances de se reeleger. O prefeito também teme que o desgaste do partido por causa das denúncias possa dificultar sua reeleição. Em colaboração premiada, Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, disse que ajudou a quitar dívidas de campanha de Haddad superiores a 2,6 milhões de reais, conforme revelou VEJA.

Por enquanto, a opção preferencial de Haddad seria integrar a Rede Sustentabilidade, partido recém criado pela sua ex-colega de ministério Marina Silva. Apesar da pouca estrutura da nova legenda, Haddad está empolgado com as recentes declarações de Marina sobre a necessidade de um novo "campo de esquerda" no espectro político brasileiro.

Se for para a Rede, o prefeito de São Paulo seguirá o mesmo caminho de outros ex-petistas que estavam insatisfeitos, como o deputado federal do Rio Alessandro Molon. A possibilidade provoca calafrios na cúpula petista, que vê na reeleição de Haddad a única chance de se reerguer eleitoralmente.

O elo entre Haddad e Marina tem sido a educadora Neca Setúbal, com quem o prefeito mantém contato desde o período em que ocupou o Ministério da Educação - na mesma época, Marina era ministra do Meio Ambiente do governo Lula. Algumas semanas atrás ela foi procurada pelo secretário municipal de Educação, Gabriel Chalita. Isolado no PMDB desde a entrada da senadora Marta Suplicy no partido, Chalita procura outra sigla para se candidatar a vice de Haddad e propôs que a Rede integrasse a chapa do petista.

"O Chalita nos procurou e dissemos a ele que buscamos construir uma identidade para o partido a partir de um núcleo programático e que não é o caso, agora, de buscar um arranjo para a eleição em São Paulo", disse o porta-voz da Rede, Bazileu Margarido.

Segundo fontes da Rede, ao rejeitar a proposta de Chalita o partido teria sinalizado interesse em ter Haddad como candidato a prefeito no ano que vem e o prefeito autorizou o secretário a prosseguir nas conversas com a educadora.

Além de Neca, as consultas de Haddad incluem um grupo restrito de intelectuais e acadêmicos e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Nesses círculos reservados, são frequentes as reclamações do prefeito em relação ao PT, especialmente após a condenação do ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto e os métodos políticos de parte da bancada de vereadores em São Paulo.

O flerte do prefeito com os tucanos não se restringe à relação com FHC. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria oferecido ao petista a possibilidade de ingressar no PSB. Haddad tinha excelente relação com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, morto em agosto do ano passado.

O PT quer segurar o prefeito no partido. Ele administra um dos maiores orçamentos o país e é esperança de renovação dos quadros partidários. Se conseguir se reeleger, ele se credenciaria até para a sucessão de Dilma Rousseff em 2018, avaliam os petistas. Outros entraves passam pela relação direta de Haddad com Dilma Rousseff. O prefeito se queixa da falta de ajuda financeira do governo federal para sua gestão, mas mantém apreço pela presidente, que ele exclui do que chama de "crise ética do PT".

Conforme um dos assessores de Haddad, o futuro dele no PT também depende do que vai acontecer com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu "padrinho político" e responsável pela candidatura vitoriosa à prefeitura em 2012. A Operação Lava Jato revela cada vez mais operações suspeitas de pessoas próximas a Lula. A decisão ainda não está tomada. "Não posso fazer isso com o Lula agora", teria dito Haddad.

Cigarro suspeito de Luciano Huck incendeia a internet

Luciano Huck fez um selfie enquanto cortava o cabelo com o badalado Celso Kamura - o mesmo que é responsável pelas madeixas presidenciais de Dilma Rousseff. Até ai, quem nunca? Selfies são comuns como chinelos de dedo, hoje. O problema é que, sobre a bancada do cabeleireiro, bem em frente ao seu famoso cliente, aparecia na foto um cigarro com cara de suspeito. Não demorou para os seguidores mais atentos do apresentador apontarem o objeto, no lado inferior esquerdo da foto, sugerindo que Huck "esqueceu o baseado" na mesa. Huck não disse nada, mas apagou a imagem, como se nada tivesse acontecido.

"Vir de São Paulo só para dar um trato no telhado do amigo que estava mega descabelado é firmeza total. Obrigado, querido Celso Kamura. E de quebra ainda assisto a A Regra do Jogo", diz a legenda escrita pelo apresentador na imagem apagada. Apesar da tentativa de acabar com os comentários, Huck agora tem que lidar com os usuários do Twitter, que continuam a ironizá-lo. "Luciano Huck é flagrado fumando o famoso 'Vou de táxi'", diz um dos comentários. "Gente, não era um baseado na mesa do Luciano Huck. Era um livro de índios", ironiza outro.

Vale lembrar que Luciano Huck não é a primeira celebridade a ser flagrada com algo parecido com um cigarrinho de maconha. Há um penca delas. No último Rock in Rio, para citar um exemplo próximo, o ator Johnny Depp fumou um no palco.

Lava Jato: PGR apresenta denúncia contra deputado do PP

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR), suspeito de receber propina no escândalo do petrolão. Os indícios são de que o parlamentar cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Por intermédio do doleiro Alberto Youssef, ele teria recebido dinheiro de empreiteiras, além de 500 000 reais de um dos principais delatores do propinoduto.

A Polícia Federal já havia encontrado indícios de que Meurer recebeu pelo menos 159.000 reais do doleiro Carlos Habib Chater, supostamente a mando de Youssef. O nome de Meurer e os respectivos repasses financeiros constam de um conjunto de tabelas de Chater analisadas pela Polícia Federal a partir de planilhas de "contabilidade informal" feitas em um posto de gasolina do doleiro. Em maio do ano passado, ainda no início da operação, reportagem de VEJA mostrou que políticos filiados ao PP, como o ex-ministro Mario Negromonte (Cidades) e o deputado João Pizzolatti (SC), mantinham estreita relação com o doleiro Alberto Youssef, inclusive realizando visitas em seu escritório de São Paulo.

Em depoimento ao juiz Sergio Moro, Alberto Youssef disse que políticos do Partido Progressista (PP) receberam repasses mensais de até 750.000 reais em propina, a partir de dinheiro desviado na Petrobras, durante a campanha eleitoral de 2010. Youssef citou quatro beneficiários preferenciais da propina do PP: Meurer, Negromonte, Pizzolatti e o mensaleiro Pedro Corrêa.

Os quatro eram, na versão do delator, os principais beneficiários da propina enviada ao partido depois da morte do ex-deputado José Janene, parlamentar responsável pela indicação de Paulo Roberto Costa para a diretoria de Abastecimento da Petrobras. Houve remessas de dinheiro para lideranças do partido e até na casa de Negromonte na época em que ele ocupava a pasta das Cidades, no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. "Eles dividiam as propinas entre eles", resumiu Youssef.

Apple lança mais 7 comerciais para seu Watch

São Paulo - A Apple não para de investir no marketing para seu Apple Watch.

Para tentar convencer as pessoas que de o relógio inteligente é útil, a marca tem lançado vários comerciais curtos e divertidos, focando em suas funcionalidades para o dia a dia.

No começo de outubro, a marca divulgou seis comerciais em tom pop e minimalista.

Agora, mais sete foram lançados.

Novamente, cada um tem apenas quinze segundos e mistura simplicidade com cores vibrantes, música e dança.

Em um deles, uma música da banda australiana Tame Impala é usada.

Em outro, uma surpresa para os brasileiros: uma música cantada em Português.

Mas os artistas são de Nova York e arriscam a letra com sotaque: Sofi Tuckker, cantando a música "Drinkee".

A letra diz "Com deus me deito com deus me levanto, comigo eu calo comigo eu canto, eu bato um papo eu bato um ponto, eu tomo um drink eu fico tonto".

EUA investigam corrupção na PDVSA, petroleira estatal venezuelana

Agências dos Estados Unidos abriram investigações sobre casos de corrupção e desvio de dinheiro da companhia petroleira estatal venezuelana PDVSA, reporta nesta sexta-feira o jornal The Wall Street Journal. "Autoridades dos Estados Unidos lançaram uma série de investigações para saber se políticos venezuelanos utilizaram a PDVSA para desviar bilhões de dólares do país através de subornos e outros mecanismos", informou o jornal, que mencionou como fontes "pessoas próximas ao assunto".

De acordo com o jornal, as investigações também pretendem "determinar se a PDVSA e suas contas bancárias no exterior foram utilizadas para fins ilegais, incluindo operações de câmbio paralelo e lavagem de dinheiro proveniente de drogas", durante o governo de Hugo Chávez (1999-2013). O jornal americano informa que um dos dirigentes venezuelanos investigados seria Rafael Ramírez, ex-ministro de Energia, ex-presidente da PDVSA e atual embaixador de seu país nas Nações Unidas. Após tomar conhecimento da reportagem, Ramírez publicou uma série de mensagens no Twitter ironizando sobre as investigações. "Esses ataques, longe de nos submeter, nos fortalecem e nos mantém firmes no combate. Viva Chávez!", disse ele em uma delas.

A Petróleo de Venezuela S. A., mais conhecida como PDVSA, é a maior empresa do país e praticamente sustenta a economia venezuelana com suas exportações. A empresa provê 96% das divisas do país, mas sua produção vem caindo desde o ano passado. Se não bastasse, os inúmeros casos de corrupção denunciados pelo que resta da imprensa independente da Venezuela, a menor produção, o alto consumo interno e queda do preço do barril de petróleo no mercado internacional estão fazendo a companhia ter dificuldade de fechar duas contas e dar lucros satisfatórios.

"A PDVSA vem tendo problemas financeiros, operacionais e de corrupção. Há um mau gerenciamento da empresa em parte porque ela ficou em função do projeto político do chavismo e também por ter se encarregado de outras tarefas, como a importação e distribuição de alimentos subsidiados", explicou o economista e consultor de assuntos petroleiros, Orlando Ochoa. O economista argumenta que a estatal petrolífera sai prejudicada da política de controle cambial, com três taxas oficiais e uma no mercado negro, assim como da "petrodiplomacia" implantada pelo governo, com envios de petróleo a países aliados.