sábado, 18 de fevereiro de 2017

Prefeito Zenaldo Coutinho faz visita técnica e anuncia parceria em projeto para conter erosão em Mosqueiro

Com o objetivo de garantir verbas do governo Federal para obras de contenção da erosão na orla de Mosqueiro, o prefeito de Belém Zenaldo Coutinho e o Ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, realizaram uma visita técnica à ilha, na manhã desta sexta-feira, 17. O projeto apresentado pela Prefeitura de Belém abrange mais de 2 km de extensão e deve beneficiar dez praias: Baía do Sol, Marahu, Paraíso, Praia Grande, Murubira, Ariramba, Porto Artur, Bispo, Chapéu Virado e Areião.
De acordo com o prefeito Zenaldo Coutinho, a previsão é de que até o início de março seja assinado o contrato entre Prefeitura de Belém e Governo Federal, e as obras tenham início já em abril. “Nós sempre buscamos essas parcerias junto ao governo Federal, Estadual, e com as próprias comunidades, pois quem ganha é a população. E os recursos são de todos, já que são provenientes de impostos pagos pelo povo brasileiro”, declarou o prefeito.
Para a moradora de Praia Grande, Rita Maria de Oliveira, comerciante, de 52 anos, que recebeu diretamente do prefeito a notícia e o prazo para o início das obras, a alegria não poderia ser maior. “Eu  feliz de ver que esse projeto vai se tornar realidade, de ver que o prefeito foi em Brasília buscar verbas e nos trouxe uma solução. Também tô confiante, porque é um projeto que é pra Mosqueiro toda, não é só pra gente”, ressaltou.
Durante a manhã, além da Praia Grande, a comitiva visitou a Baía do Sol, Marahu e Paraíso, consideradas pontos críticos no distrito. “A Prefeitura de Belém fez a identificação das necessidades e nos repassou esse projeto que, em nossa visita aqui, constatamos ser realmente necessário, para reduzir os riscos para a população dessas comunidades. É uma ação de prevenção”, avaliou Adelaide Nacif, do Ministério da Integração Nacional.
A técnica em enfermagem Érica Sousa, de 39 anos, é nascida e criada na praia da Baía do Sol, em Mosqueiro. Ela mora com a mãe, de 69 anos, e o filho de 9 anos, e não pensa em se mudar. “Não tem praia mais linda que essa, a gente adora isso daqui. Aqui a gente não vê violência, mas claro que estamos buscando sempre melhorias pra nossa comunidade”, comentou. Érica fez questão de acompanhar de perto a visita, junto com a amiga e também moradora, Deulinda Silva Carvalho, de 43 anos.
“Eu conto com a ação da prefeitura pra trazer essas melhorias aqui pra gente e eu já vejo que isso acontecendo aqui. Esse foi o primeiro prefeito que veio aqui na nossa comunidade”, afirmou Deulinda.
Por se tratar de uma obra de grande porte, estimada em cerca de R$ 25 milhões de reais, o secretário municipal de Urbanismo, Adnaldo Oliveira, reforçou a importância da visita e da parceria com o governo Federal para viabilizar o projeto. “O prefeito de Belém foi pessoalmente a Brasília apresentar nosso projeto para o Ministério da Integração, e também para o Ministério das Cidades, pois é uma obra importante para o estado como um todo, e que o Município não conseguiria realizar sozinho. Foi a partir daí, que originou esta visita de hoje”, disse.
“O que a prefeitura está buscando é um trabalho preventivo, queremos agir o quanto antes para barrar o avanço da erosão na orla, e tenho certeza que essa é uma obra que vai beneficiar todos os moradores de Mosqueiro, os visitantes, os turistas de fora do Estado. Todos”, afirmou o coordenador da Defesa Civil Municipal, Yan Miranda.
Texto: Kennya Corrêa

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO VISITA LULA NO SÍRIO LIBANÊS

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde desta quinta-feira (2) no hospital Sírio Libanês, na região central de São Paulo, para expressar condolências pela ex-primeira dama Marisa Letícia. Ela teve a morte cerebral declarada hoje de manhã depois de quase dez dias internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por conta de um AVC (acidente vascular cerebral) do tipo hemorrágico.

A agenda de Fernando Henrique não foi divulgada para a imprensa do hospital, mas foi confirmada pela assessoria do Instituto FHC e por fontes ligadas ao Partido dos Trabalhadores.
Em 2008, então em seu segundo mandato, Lula  decretou luto oficial de três dias pela morte da ex-primeira-dama Ruth Cardoso, então mulher do ex-presidente FHC.

À época, Lula modificou a agenda oficial para ir ao velório de Ruth, que morreu aos 77 anos em decorrência de problemas cardíacos. Devido ao luto oficial, o Congresso Nacional suspendeu todas as suas atividades durante a semana.